/ Vida e Poesia Seja bem-vindo!

Vida e Poesia

As emoções acumulam-se, entreolham-se...e os loucos e desenfreados pensamentos chocam-se: nascem idéias que traduzem um pouco da minha essência poética que, com muito gosto, socializo com aqueles que apreciam ler escritos da alma.

quarta-feira, julho 18, 2012

Sombras

Lake in Woodbury/MN-USA by Cristy Anjos 


Qual pássaro fugitivo,
em voo errante,
vivo desnorteada.
Prendo imagens ao pensamento.
Persistem as sombras, muitas delas.
Ao meu redor, um imenso vazio.

Provocam-me tremores
tantas ausências.
Tento afastar da minha saudade
todas as canções do que não foi.

Presa às lembranças,
seguro imagens, sombras.
Avalio perdas, silêncios...
Degladiando com as dores,
purifico-me, cresço, evoluo.
Faz-se imperativo afastar de mim
a revolta e todo o amargor.

Quem sabe, assim,
eu possa eliminar,
da minha vida,
as sombras nefastas,
o não ter, perto de mim,
presenças tão queridas
e a tristeza das horas.

Copyright © 2012 by Lou Correia
All rights reserved.

Versos outonais

Outono em Minneapolis/MN-USA by Lou Correia


Entardece...

Lá fora, um ar gelado impera.
As folhas, secas e amarelecidas,
desnudam os galhos das árvores,
seguem em redemoinho,
açoitadas pelos ventos frios.

Dentro de casa,
as chamas das velas
(acesas pra esquentar o ambiente)
aquecem minh’alma,
avivam-me as lembranças.

Sinto ressuscitar minha essência poética,
(estática, há algum tempo),
à beira de um oceano de lágrimas.

Finalmente, surgem estes versos outonais,
dantes, tão dolorosamente adormecidos,
que os pensara mortos dentro de mim.
Copyright © 2011 by Lou Correia
All rights reserved.
Autumn in Minneapolis


quinta-feira, junho 09, 2011

Viagem


Cansada de perambular
entre ilusões turbulentas,
(são tantas decepções sofridas)
neste momento, careço:
do brilho caloroso do teu olhar
que, doravante, há de ser meu guia;
da fortaleza dos teus braços
para deitar minha cabeça,
aconchegar meu corpo,
esquecer de tudo,
concentrar-me , apenas,
em ti,
em mim,
em nós.
Necessito de ouvir a melodia
de tua voz precisa e forte
(respondendo às minhas perguntas).
Embriagar-me de ti,
embevecida e emocionada,
pedir-te:
ensina-me.

Quero viajar junto contigo
para dentro de mim,
descobrir em nós
nossos segredos,
indecifráveis mistérios!

Copyright © 2011 by Lou Correia
All rights reserved.

sábado, abril 30, 2011

Gracias a la vida.wav

sexta-feira, abril 22, 2011

Noturno

Pássaros de solidão agigantam-se,
sobrevoam a janela outonal,
aberta para a noite chuvosa,
querem servir de tema.

Grandes pássaros estranhos,
pintados de aquarela cinza,
não me rondem enfadonhos,
não os permitirei entrar,
não fazem parte do meu poema.

Copyright © 2011 by Lou Correia
All rights reserved.

 

sexta-feira, abril 08, 2011

Prece


Senhor, Nosso Pai,
nestes dias de agora,
atravesso,
sem bússola,
um mar de tempestades...
Perdi a rota do cais,
encontro-me à deriva.

Navego sobre ondas revoltas,
guiada pela vontade de acertar,
amparada pela fé em Vós.
Iluminai-me, amado Mestre!
Pai, mostrai-me um caminho seguro!

Camuflada num silêncio ensurdecedor,
cabeça cheia de preocupação,
reflito sobre as tantas vezes
em que fui porto seguro
para alguns amigos,
familiares,
amores,
afetos.

Hoje,
não encontro um abrigo,
nem consigo aportar.

Nestes dias de agora,
perambulo sozinha,
nem consigo dormir.
Desesperadamente,
busco uma luz,
solução para meus problemas,
mas meu grito não ecoa,
nem encontro saída.

Oh! Deus,
não Vos esqueçais de mim.
Ajudai-me, Senhor!
Amém!

Copyright © 2010 by Lou Correia
All rihgts reserved.


sábado, outubro 23, 2010

Balada para Derinha


Derinha Rocha(1960-2010)
Produção & Fotografia by Lou Correia



Esta canção, simplesmente,
compõe-se cheia de saudade.
No meu coração amargurado,
há misto de tristeza,
jeito de abandono,
como um barco à deriva,
que perdeu a rota do cais.


Nesta balada dolente,
vão-se, amargas, minhas lágrimas
caindo, silenciosamente...
dos meus olhos, ora tristonhos,
ao sentir que tu partiste,
assim... tão veloz,
tão de repente.


Por que foste tão depressa, amiga-irmã?
Nem de mim te despediste.
Ah, como é fugaz a vida!


Foste especial, bem sei,
pois sempre nos deste por certo,
na arte do teu viver,
que o amor é parte de tudo!


Restam-me um vazio no peito,
estas rimas quebradas, sem jeito,
grito rouco, choroso, emudecido,
desde o entardecer de primavera
que te levou para além do horizonte.


Mas, lá no céu azul bem alto, eu creio,
dentre os jardins floridos da eternidade,
meio aos doces anjos de ternura,
uma nova flor há de surgir,
igual à linda “flor de miosótis”
do jardim da nossa amizade.


Enquanto repousas nos braços do PAI,
escrevo-te estes versos
desarrumados, imperfeitos,
sina cruel desta minh’alma poeta,
que só se inspira, quando sofre,
e escreve falando de dor,
pranto doído,
saudade,
oração,
estrofes,
canção,
nesta balada para ti, Derinha.
Descansa em PAZ!


Copyright ©22/10/2010 by Lou Correia
All rights reserved.

quarta-feira, outubro 20, 2010

Homenagem a Derinha!

Compartilho com meus amigos
esta homenagem à minha amiga-irmã Derinha,
que agora habita a morada do PAI:


Derinha Rocha(1960-2010)
Produção e fotografia by Lou Correia.

Deri, muito obrigada pelo privilégio de fazer parte da sua vida,
pelas inúmeras oportunidades em que estivemos juntas,
compartilhando emoções de alegria, de tristeza, de dor,
de crescimento, de descobertas na ambivalência da vida.
Minha homenagem neste instante em que rogo a Deus nosso PAI,
que a receba em SEUS braços e a guarde sob o manto sagrado do SEU AMOR!
Que a linda "Flor de Miosótis", do jardim dos meus afetos queridos,
perfume e floresça doravante, nos jardins da eternidade!
Até um dia, minha amiga-irmã Deri, até onde só Deus é quem sabe!
Minha saudade!
Lou.

segunda-feira, agosto 30, 2010

Tempestade



Poetrix

Remo contra um mar revolto,
luto para não me afogar,
sob impiedosas ondas de solidão.


Copyright © 2010 by Lou Correia
All rights reserved.

quarta-feira, julho 07, 2010

Ode ao vinho



Seja ele branco, rosé , ou tinto,
ao degustá-lo, o faço com prazer,
entorpece minhas ausências, sinto
libertar-me desse louco sofrer.

A taça de cabernet sauvignon,
canção ecoa em peito tão doído,
nos acordes de um bandoneón
embriagam meu coração sofrido.

O vinho é, pois, mágica bebida
que degusto, sim, pelas madrugadas,
afugentado dores de minh’alma.

Nesta ode ao vinho, um brinde à vida!
Apraz-me o seco, uvas maceradas,
d’um bouquet saboroso que me acalma
.

Copyright © 2010 by Lou Correia
All rights reserved.

sexta-feira, junho 25, 2010

Sonata ao desejo em tom maior



Noite escura, quente, abafada.
Meio às paredes cheias de mormaço,
palavras roucas presas na garganta,
cansada, tento adormecer,
livrar-me de tanto cansaço.

Olhos semicerrados,
esperando o sono chegar...

Na densa escuridão, miragens:
fagulhas de paixão bailam sobre mim,
incendeiam meu corpo,
(qual fogueira de desejo);
impiedosas me consomem,
coreografando sensações em ebulição.
Meus lábios, frementes, sedentos,
sentem o gosto de teu beijo...

Ah, é sempre desse jeito, sempre!
Tudo se repete, tudo,
(parece até um castigo).
Uma vez mais essa chama ardente
invade-me,
incendeia-me,
queima-me toda, assim,
sempre assim,
toda vez que sonho contigo!

Copyright © 2010 by Lou Correia
All rights reserved.

sexta-feira, maio 21, 2010

Ode ao prazer


Na loucura do sonho,
acerco-me de ti
que se me apresentas
pleno de perigo,
em vasto precipício...

Alucinada, cheia de desejos,
atiro-me em teus braços
que me prendem por inteiro,
caio num despenhadeiro
de indizíveis sensações...

Anseio-te há anos luz de solidão,
(e mesmo e só em sonho),
percorro-te os tortuosos caminhos,
busco-te em mágicos atalhos
que me levem ao canyon do teu corpo.

Embriagada,
à mercê dos lampejos de excitação,
sinto teus carinhos adentrarem-me a pele,
nesse mar de emoções em erupção...

Meu coração desembesta acelerado,
meu sangue quente se agita,
e corre e fervilha e queima,
o prazer, afinal, explode
feito lava de vulcão!

Copyright © 2010 by Lou Correia
All rights reserved.

quinta-feira, maio 13, 2010

Qualquer coisa



O que quer que seja
que dê um colorido diferente
aos nossos dias,
(sempre tão iguais),
vem bem...

Seja uma grande admiração
por alguma coisa,
ou por alguém,
um bem-querer intenso,
uma inspiração repentina,
uma paixão arrebatadora,
qualquer novidade,
o que quer que seja
vem bem!

Copyright ©2009 by Lou Correia
All rights reserved.

quarta-feira, outubro 28, 2009

Movimento da Palavra - Antologia



Convite


Antologia Movimento da Palavra

quarta-feira, outubro 14, 2009

Dimensões


Ser chuva fina,
atemporal,
molhar teu corpo inteiro...

Ser sol quente,
entranhar-me na tua pele,
aquecer-te todo.

Ser lua nova,
cheia, minguante;
nas solitárias madrugadas,
em todas as fases,
acalentar teus sonhos...

Ser estrela cintilante, guia,
para iluminar-te os passos,
nesta vida sofrida...

Ser presença afetiva, marcante,
dimensionada pelo bem-querer;
habitar-te os pensamentos,
estar contigo, sempre!

Copyright © 2009 By Lou Correia
All rights reserved.

Caminhos


Conheço bem esta cor diferente,
este brilho novo em meu olhar.
Mais uma vez, igual a tanta gente,
lutarei para não me apaixonar.

Você me desperta admiração,
com essa energia que me enriquece.
Há anos-luz, vivo na solidão
a dor de ser só, que não me esquece.

Nos caminhos do bem-querer, eu penso:
quem sabe...se renascem novas flores,
seu carisma abrirá meu coração.

Sigamos, então, terno amor imenso,
criemos atalhos livres, sem dores,
cumplicidade sutil da emoção!


Copyright ©2009 by Lou Correia
All rights reserved.


quarta-feira, setembro 23, 2009

Confidências


A chuva canta indiferente
aos teus ouvidos,
já dormes, certamente...

Meus pensamentos
surpreendem-te
na tua cama,
no aconchego morno dos lençóis
que, neste instante
(e por enquanto)
substituem os meus braços.

Abraço-te forte, emocionada.
Num misto de paixão e ternura,
beijo-te o rosto,
os olhos,
os lábios...

Dormes calmamente,
doce menino grande,
nem percebes
os pensamentos e desejos
que me despertas...

Tu, perfeito poema de amor,
em inspiradoras confidências
dos versos que tento compor!


Copyright © 2009 By Lou Correia
All rights reserved.


quinta-feira, julho 02, 2009

Porque hoje é sábado

Sensibilidade nos convida a viajar
rumo ao infinito,
numa cumplicidade inspiradora
que habita os mares de cá...

.

Porque hoje é sábado,
desejo-te momentos "zen"
no aconchego do quarto...

.

Um frio gostoso,
melodia de chuva caindo no telhado,
cheiro de terra molhada...

.

Meu cheiro azul,
com fragrância de relva,
uma vontade danada
de espalhar poesia

e música no ar!

Copyright © 2009 By Lou Correia
All rights reserved.